Seja bem-vinda(o)!

Esse blog foi lançado há dois anos atrás e seu objetivo foi mudando, foi crescendo e senti a necessidade de reformulá-lo.

Era para ser apenas um blog sobre as histórias de meus partos, porém agora é muito mais do que isso.

Resolvi reunir aqui relatos de partos normais após cesarea, relatos de partos pélvicos e podálicos, relatos de cesáreas necessárias e humanizadas, relatos de partos desassistidos entre outros mais.

Além disso, por ter vivido a experiência de um parto desassistido e estar a caminho de outro, muitas pessoas tem me escrito e me pedido ajuda porque tem vontade de realizá-lo também.

Em primeiro lugar, eu desejo deixar claro que o objetivo aqui não ENCORAJAR NINGUÉM A TER PARTO SEM ASSISTENCIA, meu interesse maior é levar empoderamento às mulheres, fazerem-nas acreditarem em sua capacidade de parir mesmo diante da sociedade moderna que não acredita que a mulher precise passar "por tanto sofrimento".

Parto, para mim, e para as mulheres que escolheram escrever suas histórias aqui, É PRAZER, É GOZO, É ALEGRIA, É FESTA, É INSTINTO FEMININO, É AMOR, É RENASCIMENTO e muito, muito mais.

Acredito que quem não teve uma experiência de parto positiva tem seus motivos, mas os principais são: a falta de informação, a falta de apoio e a falta de profissionais humanizados na atual obstetricia no mundo, por isso a intenção aqui é ajudar as pessoas a encontrarem boas informações, apoio e profissionais humanizados de verdade.

Cada pessoa sabe de seus limites. Eu não sou uma pessoa radical com a decisão alheia, (principalmente se for consciente) mas sou radical com minhas decisões. Decidi seguir meus instintos e ir até onde me sinto confortável para realizar-me, por isso decidi pelo parto desassistido novamente.

O principal motivo que me faz escolher o PD Unassisted é a impessoalidade do hospital diante de um evento tão fisiológico e íntimo, e também por ter tido minhas primeiras experiências de parto roubadas por profissionais despreparados e desumanos.

Eu não me considero melhor, nem mais corajosa do que ninguém, pelo contrário, me considero uma pessoa simples e humana, alguém que acredita na simplicidade e a na perfeição da natureza e que por isso, acredita que deixar o corpo agir sem "intervenções humanas" seja o melhor caminho para um bom parto.

Estar com meus filhos por perto durante todo o trabalho de parto, faz com que me sinta segura também, e é o segundo motivo que me impulsiona ao PDU.

Em terceiro lugar vem as rotinas hospitalares. Aquele monte de burocracias de ir de um balcão para outro, fazer exames, levar "picadas" de agulha, ser obrigada a fazer o que é "procedimento padrão". Nada disso me ajudaria no momento do parto, pelo contrário, me deixaria tensa e nervosa, portanto prefiro a opção do PDU.

Para concluir, não posso dizer que não tenho medo algum. O medo também é instinto e todo ser humano o sente, mas acima do medo está a confiança em mim, no meu corpo, nas pessoas que me apoiam, nas coisas que tenho aprendido nesses 7 anos que sou militante do movimento de humanização, e isso é uma arma que me fortalece e me ajuda.

Além disso tudo, acredito no lado espiritual do parto, no resgate de minha feminilidade, na força que o universo me dá quando permito ultrapassar meu limite físico e humano, e permitir-me alcançar a ligação com o divino.

Espero com tudo isso deixar claro meu objetivo e poder ajudar quem precisar de meu apoio.